8 de jun de 2011

Noite Demosul traz As Mercenárias à Londrina

Este sábado, acontece na Vila Cultural Alona a primeira Noite Demosul 2011. O evento traz à cidade As Mercenárias e também lança o CD da banda Tênis Sujo e um Scarpin. Depois das apresentações, haverá ainda discotecagem do Dj Divo. Os shows abrem a temporada de Noites que antecedem ao Festival Demosul, este ano programado para acontecer entre os dias 14 a 22 de outubro.


Esta é a primeira vez que As Mercenárias vem à cidade. Para o produtor do evento, Marcelo Domingues, esta é mais uma das propostas do Demosul para inovação, uma vez que o festival sempre tenta trazer bandas que não vieram para Londrina. "Elas são referência para geração dos anos 90, 00. Quem ainda não ouviu As Mercenárias, um dia via ter que ouvir se quiser passar pela escola do punk rock", conta.


Os ingressos podem ser comprados, antecipadamente, a R$15,00 na Sonkey (Rua Senador Souza Naves, nº 09). Já no local, a entrada custa R$20,00. Para os beberrões de plantão, a cerveja sai a R$1,00 até 23h30min. A Vila Cultural Espaço Alona fica na Avenida Leste Oeste, 518 (em frente ao supermercado Condor).



AS MERCENÁRIAS


Lendária banda paulistana mostra vigor de duas décadas dedicadas ao rock


Tiago Moraes


Dez anos antes do Bikini Kill inaugurar a onda de punk-hardcore feminista (em 1990), as Mercenárias já perambulavam pela noite de São Paulo, mostrando a força de suas músicas – um som pesado e de letras politizadas que agradava fãs de Sex Pistols, Siouxsie and the Banshees, Joy Division, entre outros.


Suas canções de dois minutos continuam reverberando mesmo passadas duas décadas. A saga da banda post-punk liderada pela baixista Sandra Coutinho começa no início da década de 80, quando percorreu todos os inferninhos paulistanos, dividindo o palco com a vocalista Rosália Munhoz, a guitarrista Ana Maria Machado e Edgard Scandurra, que atuou como baterista nos primórdios da banda, e depois foi substituído por Lou.


Chamaram a atenção do selo (e loja) Baratos e Afins que lançou seu primeiro disco, Cadê As Armas (1986). Fizeram ainda mais barulho e, na época do "boom" do rock brasileiro, atrairam os olhares da EMI-Odeon que editou Trashland (1988) e meses depois enviou um telegrama dispensando a banda. Ana, Rosália e Lou desistiram da carreira musical e Sandra se mudou para Berlim.


Esboçaram uma volta em 2005, a propósito da boa repercussão do relançamento de algumas faixas suas na coletânea O Começo do Fim do Mundo - Beginning of the End of the World: Brasilian Post-Punk 1982-85, na Europa pela Soul Jazz Records. Fizeram alguns shows, mas novamente a banda adormeceu.


Agora, a lendária Sandra Coutinho está acompanhada pela guitarrista Georgia Branco e Pitchu Ferraz na bateria e backing-vocals. As Mercenárias retornam como power trio e mostram o vigor post-punk de seu repertório que inclui hits como "Me Perco Nesse Tempo", Pânico e "Polícia".


Tênis Sujo e um Scarpin


Banda independente formada em agosto de 2009 na cidade de Londrina, interior do Paraná, com o objetivo de divulgar sua músicas e ser a trilha sonora daqueles dispostos a curtir um mau e novo rock..n..roll. À princípio, com a mesma formação, a banda fez um show tributo ao Velvet Underground. Mas com o tempo, passou a desenvolver canções próprias, todas em português, que carregam estilos variados que vão desde o rock n' roll classico ao indie e o punk rock. Passou então a se apresentar em bares locais e festas de república, com um repertório de mais de treze músicas próprias .


Discotecagem

DIVO, seletor e ativista musical pela PUPPETSMASSACRE, manifesta mediante suas sessões todas as suas inquietudes musicais.
Bebê em distintas fontes: pós-punk, algo da new wave mais seleta, os ritmos mais obscuros dos oitenta e dos grooves ciganos e hipnóticos da IDM. "Tudo vale se é surpreendente e nos faz bailar."
Para esta sessão preparou um coquetel de temas poucos abarcados na cena alternativa local. Abwärts, Östro 430, Nitchs, Bärchen Und Die Milchbubis são algumas das raridade prometidas para essa sessão histórica no Alona, com as Mercenárias (SP), que vem oferecer o ponto de vista alternativo que Londrina não tem.

Nenhum comentário: