27 de nov de 2010

Documentário é coisa de gente grande

Amanhã é domingo. Dia de macarronada na casa da vó, dia de água de coco e skate no Zerão, dia de encontrar um jeito de não ficar bodado em casa desanimado com a última semana de um novembro que não acaba, dia de ver os super documentários produzidos pelos garotos do Colégio Estadual Adélia Dionisia Barbosa lá no Ouro Verde, às 16h, com entrada franca.

É o Projeto Sociologia em Foco- Produção de documentários, que se iniciou em agosto de 2008 com a participação de 80 alunos, 12 estagiários de Ciências Sociais e 6 de jornalismo da UEL. Ele contou com três oficinas: uma de teoria sociológica, outra sobre técnicas de redação e a de cinema e Vídeo, ofertada pela Kinoarte. Os grupos (alunos e estagiários) foram divididos em 4 oficinas com temáticas diferentes que resultaram nos seguintes documentários  que vão ser apresentados amanhã, 28/11:

  • Triste Espetáculo: a influência da mídia no pensamento social; um trabalho sobre a mídia sensacionalista e os programas policias;
  • Aproveite o intervalo: a vitimização dos jovens e a violência simbólica nas Instituições escolares;
  • A cidadania pede passagem: uma reflexão sobre o transporte coletivo nas grandes cidades, que versa sobre o transporte coletivo em Londrina e alternativas de locomoção;
  • Na corda bamba: um documentário que trabalha a informalidade e Pirataria, trazendo um retrato da informalidade e da pirataria em Londrina.
Adriana Camponez é idealizadora do projeto e fala sobre os documentários um brilho nos olhos impossível de se descrever. "Quando você vê os trabalhos, vê que além da qualidade na estética e no conteúdo, um amadurecimento crítico com certeza modificou a vida destes garotos", conta a professora.

Em 2009, o projeto Sociologia em Foco passou a ser vinculado ao Programa Viva a Escola da Secretaria de educação do Estado do Paraná, SEED/PR. Ele também esteve, desde o início, vinculado a dois projetos de extensão do departamento de Ciências Sociais da UEL: GEEMAS - Grupo de Estudos e Extensão sobre materiais didáticos de sociologia e Semanas de Sociologia nos colégios da rede pública.

Todos os participantes puderam receber certificados ao longo desses dois anos. Paralelo a este projeto, há também a Revista Famílias Possíveis, desenvolvida no Colégio Estadual Hugo Simas.  "Muita gente me pergunta em quais colégios estes projetos foram realizados e eu sempre reforço que eles são frutos de estudantes de escolas estaduais, porque, sim, é possível fazer um trabalho lindo com aqueles garotos, eles tem um potencial ilimitado", diz Adriana, toda orgulhosa.

3 comentários:

Anônimo disse...

parabenssssssssss Professora Adriana, pelo blog, pelo documentário, pelo compromisso que tens com a educação.
Profª Vani E. Santo

Anônimo disse...

PARABÉNS PROFª ADRIANA. Seu trabalho mostra o empenho de profissionais que acreditam na educação pública de qualidade.

Profª Odete Araujo.

Mare disse...

Vamo produzir documentário junto galera! Cinema é coletivo!!

entrem em contato com o Alona pra gente começar produzir juntos!

coletivo.alona@gmail.com