4 de nov de 2010

Que eu desorganizando posso me organizar...


Long long time ago, 2008 para ser mais exata, surge o ALONA, (Vila Cultural) em Londrina (PR). A princípio, sua meta era criar um vínculo com o Circuito Fora do Eixo, que tinha como um de seus fundadores o Marcelo Domingues, também um dos pioneiros do Fora do Eixo.

Opa, pára aqui! Então quer dizer que Londrina sempre foi um ponto Fora do Eixo? Que beleza!! Certo?? Não, não foi tão simples assim. Pouco a pouco, devido a dificuldades e outros projetos pessoais, o Alona foi perdendo seus colaboradores e restou para apenas 4 pessoas a tarefa de fazer este espaço funcionar. E com o tempo, a equipe, sobrecarregada, viu o espaço conquistado se tornar um fantasma dentro do Circuito.

Mas, o tempo passou, passou... e não foi só por aqui não... O Fora do Eixo cresceu, se expandiu e voltou para Londrina, dessa vez com a cobertura colaborativa do Demo Sul, um festival de música independente organizado pelo próprio Marcelo. E em comemoração dos 10 anos de Demo Sul, o festival considerado o pitéuzinho dos londrinenses, nosso querido Gabriel Ruiz, do Enxame Coletivo (Bauru-SP) trouxe a novidade, "essa tal cobertura colaborativa". Para nós, tudo de boa, seria só só ir alí, tira umas fotinhas aqui, faz um vídeo acolá, entrevista de cá, monta um texto e toma uma cervejinha no intervalo, posta no blog... e beleza! Certo de novo? Não, não, felizmente, mais uma vez não foi bem assim...
Carol (Massa Coletiva), Andressa(Macondo), Marcia Buzalaf (UEL)
De repente, nos encontramos apaixonados pela colaborativa, todos querendo "viver de Demo Sul". E entre as propostas do evento, eis que surge uma pessoa de São Carlos chamada Carol Tokuyo, do Massa Coletiva (São Carlos -SP) . Ela vem para palestrar no VI Simpósio de Música Independente e com toda a sua experiência no Circuito Fora do Eixo começa a despejar informações e termos estranhamente atraentes para nós: colaborativo, troca, coletivo, card, sustentabilidade, planejamento, vídeo, tamojunto, enóis... Fato é que a Carol simplesmente falou tudo o que a gente sempre quis em termos de realização pessoal e profissional, como uma alternativa nessa sociedade capitalista em que a gente vive e não suporta.

Rafa (amarelo) e Gui (preto): no Simpósio, hipnotizados pela Carol
O resultado, eu diria, foi praticamente uma proposta a la Juscelino Kubitschek: 50 anos em 5. Carol do Massa (SP), Andressa Quadro do Macondo (RS), Flávio Charchar do Pegada (MG) e o Gabriel do Enxame (SP), chegaram juntos nessa evolução mental. E a Andressa, reafirmando tudo o que a Carol tinha nos falado, nos encantou ainda mais com essa realidade completamente inusitada.

E o festival acabou. Mas, SÓ o festival.Certo? Siiim!!!! Porque a galera da cobertura colaborativa gostou tanto, mais tanto dessa idéia, que hoje somos 15 pessoas, dentro do Alona, "desorganizando" todo o espaço com sede de mudança, renovação, inserção entre os pontos Fora do Eixo.

Por nós, ainda hoje, transformaríamos este espaço cultural (que com certeza já não é mais o mesmo), com teatro, cinema, música, TUDO o que se encaixa em cultura, TUDO que respira cultura, TUDO o que possa fazer com que alguém entre e se encante pelo o que está vendo, como nós nos encantamos. Por isto, de agora em diante, fica certeza: o ALONA realmente existe dentro do Circuito Fora do Eixo!

#énois #tamojunto #vamoaí

Esse texto foi escrito pela Mare e pela Tati Oliveira

2 comentários:

desi disse...

meninas, é marcia buzalaf, e não flavia, como tá aí na legenda!

e todo mundo do coletivo tá de parabéns pela força de vontade em levantar toda essa cena aqui!

=)

Tatiana Oliveira disse...

opaa, já vamos corrigir!! muito obrigada!! =D